0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Aprenda mais sobre a Síndrome das Pernas Inquietas, um distúrbio neurológico comum que afeta muitas pessoas em todo o mundo.

Neste artigo você vai descobrir:

  • O que é Síndrome das Pernas Inquietas?
  • Principais causas da SPI
  • Quais os sintomas da Síndrome das Pernas Inquietas?
  • Diagnóstico da SPI
  • Quais as opções de tratamento para a Síndrome das Pernas Inquietas?
  • Como se prevenir da SPI?
  • Qualidade de vida e Síndrome das Pernas Inquietas
  • Conclusão

Ficou curioso? Então continue a leitura para obter informações detalhadas e relevantes sobre essa condição.

O que é Síndrome das Pernas Inquietas?

A síndrome das pernas inquietas (SPI), também conhecida como doença de Willis-Ekbom, é um distúrbio neurológico que causa uma sensação desconfortável nas pernas, muitas vezes descrita como formigamento, coceira, queimação ou pressão.

Essa sensação pode ser aliviada temporariamente através do movimento das pernas ou da caminhada. A SPI geralmente piora à noite, o que pode levar a problemas de sono e cansaço durante o dia.

Síndrome das Pernas Inquietas

Embora a causa exata da síndrome das pernas inquietas não seja conhecida, acredita-se que fatores genéticos e ambientais possam estar envolvidos.

O tratamento da SPI envolve uma combinação de mudanças no estilo de vida, e, em alguns casos, medicamentos prescritos pelo médico.

Principais causas da SPI

A causa exata da síndrome das pernas inquietas (SPI) ainda não é completamente conhecida, mas acredita-se que uma combinação de fatores genéticos e ambientais possam estar envolvidos.

Algumas das principais causas ou fatores de risco da SPI incluem:

1.    Histórico familiar

A SPI parece ser comum em famílias e é considerada uma condição hereditária em alguns casos.

2.    Deficiência de ferro

A deficiência de ferro pode contribuir para a SPI, já que o ferro é necessário para a produção de dopamina, um neurotransmissor importante no cérebro.

3.    Problemas de saúde subjacentes

Certas condições de saúde, como doenças renais, diabetes, artrite reumatoide e problemas na coluna vertebral, podem aumentar o risco de desenvolver SPI.

4.    Uso de medicamentos

Alguns medicamentos, como antidepressivos e anti-histamínicos, podem piorar os sintomas da SPI.

Síndrome das Pernas Inquietas

5.    Gravidez

A SPI é comum durante a gravidez, especialmente no terceiro trimestre, mas geralmente desaparece após o parto.

6.    Estilo de vida

Fatores como sedentarismo, estresse e consumo excessivo de cafeína e álcool podem aumentar o risco de desenvolver SPI ou agravar os sintomas.

Quais os sintomas da Síndrome das Pernas Inquietas?

Os sintomas da síndrome das pernas inquietas (SPI) variam de pessoa para pessoa, mas geralmente envolvem uma sensação desconfortável nas pernas, muitas vezes descrita como formigamento, coceira, queimação ou pressão.

Essa sensação geralmente é aliviada pelo movimento das pernas ou da caminhada. Os sintomas da SPI geralmente pioram à noite e podem afetar a qualidade do sono, levando a fadiga e sonolência diurna.

Síndrome das Pernas Inquietas

Além desses sintomas, a SPI também pode causar movimentos involuntários nas pernas durante o sono, como chutes ou espasmos, que podem perturbar o sono tanto do paciente quanto do seu parceiro.

Em casos mais graves, a SPI pode afetar outras partes do corpo, além das pernas, causando desconforto ou movimentos involuntários nos braços ou no tronco. A intensidade dos sintomas pode variar de leve a grave e pode afetar significativamente a qualidade de vida do paciente.

Diagnóstico da SPI

O diagnóstico da síndrome das pernas inquietas (SPI) é feito principalmente com base nos sintomas relatados pelo paciente e no histórico médico.

Não existe um teste específico para diagnosticar a SPI, mas o médico pode realizar exames de sangue para verificar a deficiência de ferro ou outras condições subjacentes que possam estar contribuindo para os sintomas.

Além disso, o médico pode avaliar os movimentos das pernas durante o sono, uma vez que a SPI pode causar movimentos involuntários nas pernas durante a noite.

Isso pode ser feito através de um teste chamado polissonografia, que monitora o sono do paciente e registra atividades como o movimento das pernas.

Em alguns casos, uma ressonância magnética do cérebro ou da coluna vertebral pode ser realizada para descartar outras condições que possam estar causando os sintomas.

O diagnóstico preciso da SPI é importante para garantir um tratamento adequado e minimizar os sintomas. Se você acredita que pode estar sofrendo de SPI, é importante conversar com o seu médico para obter um diagnóstico correto e um plano de tratamento personalizado.

Quais as opções de tratamento para a Síndrome das Pernas Inquietas?

O tratamento da síndrome das pernas inquietas (SPI) varia de acordo com a gravidade dos sintomas e as causas subjacentes da condição.

Em alguns casos, a SPI pode ser gerenciada com mudanças no estilo de vida, como:

  • Evitar o consumo de cafeína, álcool e tabaco
  • Estabelecer horários regulares de sono e acordar
  • Incorporar exercícios regulares e atividades de relaxamento, como ioga ou meditação, na rotina diária
  • Tomar banhos quentes ou usar compressas frias nas pernas para aliviar os sintomas
  • Massagear as pernas para aliviar a tensão muscular

Além dessas medidas, o médico também pode prescrever medicamentos para aliviar os sintomas da SPI. Os medicamentos podem incluir:

  • Medicamentos dopaminérgicos, que aumentam a atividade da dopamina no cérebro, um neurotransmissor que ajuda a controlar os movimentos das pernas
  • Medicamentos benzodiazepínicos, que ajudam a relaxar os músculos e a melhorar o sono
  • Medicamentos opiáceos, que ajudam a aliviar a dor e melhorar o sono

Em casos mais graves, a SPI pode ser tratada com terapia por estimulação nervosa ou até mesmo com cirurgia. No entanto, esses tratamentos são geralmente reservados para casos mais graves e não são comuns.

Se você acredita que pode estar sofrendo de SPI, é importante conversar com o seu médico para determinar a melhor opção de tratamento para você.

Conclusão

Se você está interessado em saber mais sobre os benefícios da hipnose para o bem-estar físico e mental ou como usufruir dos seus benefícios, há várias opções de formação disponíveis.

Existem cursos presenciais e online, que podem variar em duração e currículo. Esses cursos geralmente incluem instruções em hipnose, hipnoterapia para o parto, comunicação eficaz e ética profissional.

Se você está interessado em se tornar um hipnoterapeuta certificado, é importante escolher uma escola de hipnoterapia credenciada e respeitável.

Uma organização de certificação em hipnoterapia é a OMNI Hypnosis Training Center® o primeiro instituto de hipnoterapia do mundo com certificação ISO 9001 com sede no Brasil desde 2015 presidido por Michael Arruda, autor do best-seller “Desbloqueie o poder da sua mente”.

A OMNI Brasil é responsável por oferecer treinamentos diferenciados com o ensino de técnicas utilizadas por grandes referências da hipnoterapia no mundo, sempre com foco na qualidade e excelência.

Lembre-se: a hipnoterapia é uma prática regulamentada e requer treinamento adequado para ser exercida com segurança e eficácia.

Se você está interessado sentir o poder da hipnose na sua vida, tenho um convite para você!

Saia do Piloto Automático e descubra como assumir o controle da sua mente através da Hipnoterapia para ter Sucesso na Vida e nos Negócios. Invista em si mesmo e adquira já nosso curso de Auto Hipnoterapia Avançada, você não vai se arrepender!

Em apenas 21 dias FIQUE LIVRE da: ansiedade, estresse, insônia e outras doenças da mente e conquiste a vida leve e feliz que você merece.

Não deixe para depois, clique no banner abaixo e faça sua inscrição!

 

 

0
Would love your thoughts, please comment.x
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×