0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

A entrevistada de hoje, Cristiana Mori, é professora de Inglês e Hipnoterapeuta OMNI, com vasta experiência em ajudar pessoas a superar a dificuldade de aprender inglês através da resolução de problemas emocionais e comportamentais por meio da hipnoterapia.

Cristiana Mori

Estamos muito animados em ter ele aqui conosco hoje para compartilhar suas ideias e experiências sobre a transformação de vida através da hipnoterapia!

Cristiana Mori – Ajudando pessoas a desbloquear a capacidade de aprender inglês com a Hipnoterapia

Vitoria Fontes: Antes de começarmos, gostaria de pedir que você se apresente brevemente, por favor. Pode nos falar um pouco sobre sua formação e experiência profissional?

Cristiana Mori: Bom, meu nome é Cristiana Mori, eu sou hipnoterapeuta OMNI com muito orgulho e o meu nicho de atendimento é o desbloqueio do Inglês.

Vitoria Fontes: O que te levou a se tornar uma hipnoterapeuta? Você teve alguma experiência pessoal com hipnoterapia antes de decidir estudá-la profissionalmente?

Cristiana Mori: Eu era professora de inglês e em determinado momento assumi a coordenação de uma escola. Foi quando surtei, hoje acredito que estava com burnout. Eu amava dar aula de inglês, estava tão agoniada neste momento que falei para o meu marido que iria parar de dar aula.

Como não passava pela minha cabeça fazer terapia, decidi estudar autoconhecimento através da psicanálise. Me formei como psicanalista e naquele momento comecei a entender um pouquinho mais a mente humana!

Eu era apaixonada pelo conteúdo da psicanálise, pelo conhecimento da psicanálise, mas não gostava do atendimento, achava muito demorado. Então fui atrás de outras ferramentas, achei uma que se chama bioconexão e conheci muitos hipnoterapeutas.

É muito curiosa a forma como que conheci a OMNI: estava assistindo televisão e me deparei com uma chamada do Fantástico, anunciando o lançamento do livro “Hypnose: Descubra o poder da sua mente” do Pyong Lee.

Como essa informação não saiu da minha cabeça, fui pesquisar quem era, encontrei um vídeo em que ele foi buscar a raiz do problema de uma pessoa que sofria de ansiedade.

A hora que eu vi aquilo eu falei “quero essa ferramenta pra mim”. Foi quando comecei a olhar a hipnose com um outro olhar, encontrei um vídeo em que o Pyong falava que se formou em Hipnoterapia na OMNI Brasil e quando entrei no site vi que possuía a certificação Internacional ISO 9001.

Isso me deixou muito vislumbrada, foi quando entrei em contato, teve todo um processo e a hora que eu fui fazer o curso aí eu entendi tudo!

Vitoria Fontes: Como era a sua vida antes de se tornar um hipnoterapeuta? Você poderia compartilhar alguns dos seus principais desafios ou obstáculos que enfrentou em sua vida pessoal ou profissional?

Cristiana Mori: Eu fui dona de casa durante dez anos, em certo momento cheguei no meu limite, precisava fazer algo, mas não sabia o que, foi quando comecei a dar aula de inglês, nessa época eu já era intérprete, então, achei que seria uma experiencia muito boa ensinar algo que eu sabia, e realmente foi.

Hoje quando paro para pensar nas minhas aulas vejo que elas seguem muito a linha do modelo da mente. Lembro que muitos alunos meus falavam: “Teacher, porque com você eu aprendo e com os outros professor não?”

Atualmente entendo por que disso: a minha forma de ensinar inglês tem muito do que modelo da mente traz como os compounding e DDTs.

Vitoria Fontes: O que o motivou a começar a ajudar os outros por meio da hipnoterapia? Houve algum momento específico em que você percebeu que essa era a carreira que gostaria de seguir?

Cristiana Mori: As pessoas falavam que eu tinha facilidade em conversa com pessoas e fazê-las olharem para o outro lado e tals. Quando comecei a atender como terapeuta, porque também sou formada em psicanálise, a melhora dos paciente me motivava muito, eu ficava feliz em conseguir ajudar as pessoas. Quando me tornei hipnoterapeuta OMNI entendi que a hipnoterapia me levaria até a raiz do problema das pessoas e além disso teria a oportunidade de mesclar 2 grandes paixões que tenho: o inglês e a mente humana.

Foi quando comecei a descobrir que a dificuldade no inglês não estava especificamente relacionada a falta de estudo, muito pelo contrário, o problema estava interligado a questões emocionais, a falta de segurança deles neles mesmos.

Nessa hora que percebi que precisava fazer isso, só que na época não sabia direito como fazer, até porque não existia esse nicho de atendimento. Eu sou praticamente a primeira e única hipnoterapeuta atuando nesse cenário e senti que precisava avisar o mundo todo que que por importante que seja aprender inglês, é essencial fortalecer e desenvolver as questões emocionais.

Vitoria Fontes: Dentre os seus atendimentos, quais foram as crenças mais comuns identificadas como a causa raiz da dificuldade de aprender inglês?

Cristiana Mori: A grande maioria das pessoas descobrem que a raiz da dificuldade de aprender inglês está entrelaçada com a falta de reconhecimento, não ser amado, não ser aceito.

Vitoria Fontes: Como você se sentiu quando começou a trabalhar com seus primeiros pacientes de hipnoterapia? Você teve alguma insegurança ou medo inicialmente? Quais eram as principais travas?

Cristiana Mori: Quando comecei a trabalhar com a hipnoterapia em si não tive tanta insegurança porque como já trabalhava com outro tipo de terapia, tem vertentes parecidas com a hipnoterapia.

A minha grande dificuldade com a hipnoterapia é modelar para o meu nicho. Porque assim, se você escolhe a ansiedade, por exemplo, tem um monte de hipnoterapeuta incrível, agora o Inglês, quem é que tem no mercado?

Eu nem sabia se isso ia dar certo para falar a verdade. Eu falava “será que não estou viajando na maionese?”

Porque eu sei que a pessoa não vai sair do meu consultório e falar inglês daqui dois meses. Para ela falar inglês vai ter que estudar inglês. Então é um processo à longo prazo, por isso sou muito cautelosa e dou preferência para os clientes que já tem o inglês.

Vitoria Fontes: Você poderia nos contar sobre um caso de sucesso em que a hipnoterapia teve um impacto positivo significativo na vida de um paciente?

Cristiana Mori: Uma paciente chegou e falou assim para mim: Cris é o seguinte, eu já comecei a fazer aula de inglês umas quatro vezes, sempre no básico e nunca termino o módulo porque desisto no meio.

Eu me matriculei em uma escola de inglês que o investimento da mensalidade é muito alto e não posso falhar dessa vez, preciso ir até o final.

Fiz a primeira sessão: Ela veio de um casamento em que o pai se casou com uma moça que era viúva e tinha três filhos. Então ela nasceu bem depois dos meios irmãos, durante a regressão ela foi para um momento em que tinha aprendido palavras novas na escola, dizia que gostava muito de usar as palavras mais difíceis e toda vez que ela colocava uma palavra difícil, os irmãos começavam a tirar sarro dela.

Ela já se sentia meio excluída porque eram três contra um. Então os meio irmãos tinham ciúme porque ela tinha o pai e tinha mãe enquanto eles só tinham a mãe.

No retorno, ela disse: “estou me sentindo mais confiante, sinto que o meu inglês desbloqueou, eu sou considerada a melhor da turma!!

Vitoria Fontes: Antes de encerrarmos, te agradeço pela disponibilidade, comprometimento com a OMNI em nos ajudar a transformar vidas!

Cristiana Mori: Gratidão, Vi! Eu que agradeço a oportunidade de compartilhar a transformação que a hipnoterapia causou em minha vida!

0
Would love your thoughts, please comment.x
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×