0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Nos últimos 2 anos, devido à pandemia do Coronavírus, o Brasil teve 686.706 mil óbitos. O luto em família se instaurou por todos os cantos do país, e o que já era difícil de lidar, ficou ainda mais com o agravante do isolamento social!

As pessoas sabem lidar com o luto?

Essa pergunta é feita por todas as pessoas que já sofreram ou estão sofrendo com o luto de um ente. Se esse for o seu caso, ofereço meus mais sinceros sentimentos.

O luto em todas as suas formas é muito difícil. Porém, quando acontece com um familiar nosso, a dor é tanta que muitas pessoas se perdem de si mesmas dentro do vazio que o luto deixa.

O luto em família é um momento delicado e cada pessoa reage de uma forma. Umas com resiliência, entretanto, outras acabam se perdendo de si mesmas dentro do vazio que o luto deixa!

A morte é um tabu dentro de muitas coisas, um assunto intocável, porém, como descobrir como lidar com o luto em família se não falamos sobre ele?

E é exatamente por esse motivo que no artigo de hoje falaremos como a hipnose pode nos ajudar a passar por esse caminho tão dolorido que é o luto em família!

Vamos partir do princípio…. Você sabe exatamente o que é o luto?

Descubra agora!

O que é o luto?

Pode parecer irônico, mas o sentimento de luto está totalmente entrelaçado ao amor que você constrói por alguém ao longo da vida!

Quando alguém que amamos morre, o sentimento de perda é inevitável! É como se perdêssemos o chão, afinal, a pessoa que tanto amamos, admiramos e faz parte do nosso dia a dia se foi.

Nesse momento, a nossa mente se depara com a infeliz surpresa de ter que lidar com a ida de alguém que não irá voltar mais!

Diante disso, somos tomados por inúmeros sentimentos, cada qual a sua maneira!

Da mesma forma que o luto chega sem avisar, ele também não tem data definida de quando vai embora! 

Então, quando estamos sofrendo com o luto em família, é natural o desejo de que o tempo passe o mais rápido possível para que todos aqueles sentimentos negativos que tomam conta de você, se vá também!

Entretanto, o luto pode ser dividido em 5 estágios, e vamos falar sobre isso um pouco mais para frente!

De acordo com a psicóloga Juliana Batista, do HCor (Hospital do Coração) em São Paulo, em entrevista concedida ao blog do Dr. Drauzio Varella, todo o processo de luto tem um começo, um meio e um fim:

“Diversas reações emocionais são despertadas, como a tristeza, ansiedade, culpa e até mesmo raiva. Isso é muito comum. A pessoa também pode, num primeiro momento, querer se isolar do convívio social. Em relação às alterações físicas, podem ocorrer sudorese, palpitação e fraqueza, já que o corpo fica sob estresse. A reação varia de pessoa para pessoa, mas não há como evitar o processo de luto.”

É interessante falarmos que para a psicologia o luto abrange muito mais do que somente a perda de um ente querido.

Ele está relacionado aos processos emocionais envolvidos dentro da perda de diversos contextos.

No final das contas, não importa se você perdeu algo ou alguém, independente da perda, o luto não é fácil de se encarar. 

Apesar de crescermos sabendo que a morte acontece para e com todo mundo, nossa mente não está preparada para recepcioná-la de forma saudável.

A grande questão étem como passar pelo luto em família de forma saudável?

Faça a leitura completa deste artigo, e tire suas próprias conclusões!

O que é a morte?

Não existe uma definição certa de quando a morte acontece, a verdade é que esse é um verdadeiro mistério para a humanidade.

Entretanto, especialistas explicam que, biologicamente, não existe um momento exato da morte.

O que temos é uma série de pequenas falências, com diferentes partes do corpo se desligando em seu próprio ritmo!

Apesar disso, a morte pode ser vista de outra forma tendo como referência a escolha religiosa de cada um, quer ver só?

Para os cristãos, a morte é o caminho para a eternidade, ela não se esvai, se transforma! 

Por outro lado, os espíritas acreditam que podemos voltar à Terra ocupando até mesmo a forma de um animal. 

Por sua vez, os Judeus encaram a morte simplesmente como o fim da vida, e os budistas acreditam que há renascimento depois da morte!

Qual dessas visões sobre a morte é a mais correta? TODAS, não existe exclusivamente uma resposta certa!

Cada religião tem uma interpretação sobre a morte, e é exatamente por isso que cada pessoa reage ao luto de diferentes formas!

Os 5 estágios do luto

Lembra que no começo do texto eu falei sobre o luto ser dividido em 5 fases? Pois bem, chegou a hora de entendermos um pouco de cada um desses estágios!

Não se sabe quando o luto chega e quando vai embora, mas se conhecermos um pouco sobre os estágios, podemos ter a oportunidade de lidar com o luto em família de uma outra forma!

Negação 

O estágio de negação é conhecido por ser o momento em que o indivíduo que está sofrendo com o luto em família começa a se isolar de tudo e todos!

Na verdade, o isolamento não chega a ser uma escolha, muitas das vezes acontece de forma automática, muito mais como um mecanismo de defesa do corpo perante aquele momento tão dolorido que é a perda de alguém!

No estágio de negação, é normal ouvirmos frases como: “isso não pode ter acontecido”, “porque aconteceu justo com ela, uma pessoa tão boa”.

Raiva

O estágio de raiva acontece quando o indivíduo que está sofrendo com outro em família, decide externar tudo o que guardou durante o período de negação.

Nesse momento, a revolta decide dar a cara e em muitos casos de forma agressiva.

O momento de raiva é propício para quem sofre com o luto ir à procura de culpados e respostas, essa é uma forma de tentar encontrar justificativas ou até mesmo justiça por pensar: “fulano era tão bom, não merecia morrer”

A verdade é que a morte não é uma punição!

Negociação

No estágio de negociação, os indivíduos que sofrem com o luto em família chegam a pensar que a vida poderá voltar a ser como era antes.

Mas a verdade é que depois de passarmos por um episódio tão devastador quanto é o luto em família, dificilmente as coisas voltaram ao seu “estado normal”, pelo contrário, elas podem encontrar um “novo normal”.

Depressão

Por incrível que pareça, é no estágio da depressão que as vítimas do luto em família começam a verdadeiramente encarar o luto.

Podemos dizer que os 3 primeiros estágios são as fases naturais, e o estágio da depressão é o momento mais intenso da perda!

É como se nessa hora a sua ficha caísse sobre o que realmente aconteceu e que a partir dali as coisas serão diferentes do que já foram um dia!

Aceitação

Por fim, tem o estágio de aceitação, como o próprio nome já disse, é quando o indivíduo que sofre com o luto em família passa a compreender seus sentimentos de maneira mais calma, sem a euforia dos 3 primeiros estágios!

Aqui, a vítima do luto em família consegue expor de forma clara suas emoções, pensamentos e forma de ver a vida dali em diante!

Agora, a pergunta que não quer calar… O que hipnose tem a ver com o luto? Tudo!

Como a hipnose pode nos ajudar a passar pelo luto em família?

Atualmente, contamos com uma profissão que apesar de recente, sua técnica é milenar.

Estamos falando sobre o hipnoterapeuta, um profissional que usa a hipnose como ferramenta terapêutica para tratar depressão, ansiedade, transtornos emocionais, fobias, doenças respiratórias, traumas de relacionamentos tóxicos, crenças e até a fibromialgia.

Incrível não é mesmo?

Inclusive, se você ficou curioso para saber como a hipnoterapia age no tratamento da fibromialgia, clique no banner abaixo, e ganhe um ebook exclusivo sobre esse assunto.

Guia de fibromialgia

 Em primeiro lugar, você conhece a hipnose?

Não estou falando da hipnose de palco, aquela em que esquecemos nosso nome, estou falando da hipnose clínica.

Se você ainda não conhece a hipnose clínica, não se preocupe, assista ao vídeo a seguir em que Issao Imamura irá te explicar o que é hipnose através da mágica e como ela é diferente de tudo o que você já ouviu na vida.

A HIPNOTERAPIA!

De antemão, a hipnoterapia nada mais é do que um método de tratamento que utiliza técnicas hipnóticas para descobrir a raiz emocional de um problema e ressignificar o trauma.

Ou seja, através da hipnoterapia, é possível alterar a relação emocional que existe entre a pessoa e a situação que causa um determinado sofrimento, instalando assim novos programas psicológicos no subconsciente.

A hipnoterapia nos mostra que muitos problemas que vivenciamos é por conta de traumas passados, e é por isso que a hipnoterapia é um mercado em ascensão.

Afinal, quando a causa é reparada, os sintomas são naturalmente controlados e o mal deixa de existir.

A nossa mente é um campo muito poderoso e com a ajuda das sugestões que a hipnoterapia nos proporciona, o hipnoterapeuta tem a possibilidade de alcançar resultados mais efetivos e em um curto período.

Ser um hipnoterapeuta é ter a certeza de que o seu trabalho vai transformar a vida de alguém que busca por essa grande mudança.

Além de trabalhar com um propósito, o hipnoterapeuta é um profissional que tem sua performance reconhecida tanto pelos pacientes quanto por seu retorno financeiro.

Para se ter uma noção, ser um hipnoterapeuta faz com que você ganhe até R$ 20 mil por mês!

Fala sério, quando você imaginou ser possível faturar isso e ainda transformar vidas?

Se interessou? Então clique no banner abaixo e saiba mais!

MBA

 

1
0
Would love your thoughts, please comment.x
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×